JOGOS E BRINCADEIRAS

 

 

ABERASTURY, A. A criança e seus jogos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

ABRAMOVICH, F. O estranho mundo que se mostra às crianças. São Paulo: Summus, 1983.

AFFONSO, R. M. L. Ludodiagnóstico. São Paulo: Plêiade, 1995.

AGUIAR, J. S. Jogos para o ensino de conceitos: leitura e escrita na pré-escola. Campinas: Papirus, 1998.

ALBERTI, Leon Battista. Matemática lúdica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

ALENCAR, E. S. A gerência da criatividade: abrindo janelas para a criatividade pessoal e nas organizações. São Paulo: Markron Books, 1996.

ALENCAR, E. S. Como desenvolver o potencial criativo: um guia para a liberação da criatividade em sala de aula. Petrópolis: Vozes, 1990

ALLUÉ, J. M. O grande livro dos jogos. Belo Horizonte: Leitura, 1998.

ALMEIDA, E. Arte lúdica. São Paulo: Edusp, 1997.

ALMEIDA, M. T. P. Jogos divertidos e brinquedos criativos. Petrópolis: Vozes, 2004.

ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Loyola, 1994.

ALMEIDA, Paulo Nunes. A explosão recreativa dos jogos. São Paulo: Editora Estrutura Ltda., 1977.

ALVES, E. M. S. A ludicidade e o ensino de matemática. Campinas: Papirus, 2001.

AMMANN, R. A terapia do jogo de areia. Sã Paulo: Paulus, 2002.

ANDRADE, S. G. Teoria e prática de dinâmica de grupo: jogos e exercícios. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

ANTUNES, C. Jogos para a estimulação das inteligências múltiplas. Petrópolis: Vozes, 1999.

ANTUNES, C. Manual de técnicas de dinâmica de grupo, sensibilização e ludopedagogia. Petrópolis: Vozes, [s. data]

ARAÚJO, V. C. O jogo no contexto da educação psicomotora. São Paulo: Cortez, 1992.

ATZINGEN, M. C. V. História do brinquedo: para as crianças conhecerem e os adultos lembrarem. São Paulo: Alegre, 2001.

AUFRAUVRE, M. R. Aprender a brincar, aprender a viver: jogos e brinquedos para a criança deficiente, opção pedagógica e terapêutica. São Paulo: Manole, 1987. 

AXLINE, V. M. Ludoterapia: a dinâmica interior da criança. Belo Horizonte: Interlivros, 1980.

AZEVEDO, Antonia Cristina Peluso de. Brinquedoteca no diagnóstico e intervenção em dificuldades escolares. Campinas: Editora Alínea, 2004.

BARBOSA, L. Trabalho e dinâmica dos pequenos grupos. 2. Ed. Porto: Afrontamento, 1998.

BARROS, M. L. C. Como fazer brinquedos. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1979.

BENJAMIN, W. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. 4. ed. São Paulo: Summus, 1984. ou Editora 34/Duas Cidades, 2002.

BOMTEMPO, E. (coord). Psicologia do brinquedo: aspectos teóricos e metodológicos. São Paulo: EDUSP, Nova Stella, 1986. (Coleção Logos)

BOMTEMPO, E. Brinquedos: critérios de classificação e análise. Cadernos EDM, São Paulo, 2(2), jun. 1990. (FEUSP)

BOMTEMPO, E. Brinquedoteca: o espaço da criança. Idéias, São Paulo, 7: 68-72, 1990.

BONAMIGO, E. M. R. e KUDE, V. M. M. Brincar: brincadeira ou coisa séria? Porto Alegre: Educação e Realidade, 1991.

BONAMIGO, E. M. R. e KUDE, V. M. M. Ludoteca: por que não se pensou nisto antes? Revista do Professor, Porto Alegre, :5-9, jul./set.1990.

BRANDÃO DA LUZ, J. H. A imaginação e a criatividade na teoria piagetiana do desenvolvimento da inteligência. Educação e Realidade. Porto Alegre, 19 (1): 61-70, jan./jun. 1994.

BRANDÃO, H. e FROESELER, M. G. O livro dos jogos e das brincadeiras para todas as idades. Belo Horizonte: Leitura, 1997.

BRENELLI, R. P. O jogo como espaço para pensar: a construção de noções lógicas e aritméticas. Campinas: Papirus, 1996.

BROICH, J. Jogos para crianças: mais de cem brincadeiras com movimento, tensão e ação. São Paulo: Loyola, 1996.

BROTTO, F. O. Jogos cooperativos: o jogo e o esporte como um exercício de convivência. Santos: Projeto Cooperação, 2001.

BROTTO, F. O. Jogos cooperativos: se o importante é competir, o fundamental é cooperar. Santos: Projeto Cooperação, 1998.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez Editora, 1994 (Questões da nossa época, 43)

BROUGÈRE, G. Brinquedos e companhia. São Paulo: Cortez Editora, 2004.

BROUGÈRE, G. Jogo e Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 1995.

BROUGÈRE, Gilles. Jogo e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

BROWN, G. Jogos cooperativos: teoria e prática. São Leopoldo: Sinodal, 1994.

BUSATTO, Cléo. Contar e encantar: pequenos segredos da narrativa. Petrópolis: Vozes, 2003.

CAMARGO, L. O. L. Educação para o lazer. São Paulo: Moderna, 1998.

CAVALLARI, V. R. e ZACHARIAS, V. Trabalhando com recreação. 3. Ed. São Paulo: Ícone, 1998.

CHATEAU, J. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.

CLAVER, B. Escrever com prazer: oficina de produção de textos. Belo Horizonte: Dimensão, 1999.

COELHO, B. Contar histórias: uma arte sem idade. São Paulo: Ática, 2003.

CONDEMARÍN, M. e MILICIC, N. Cada dia um jogo. Campinas: Editorial Psy, 1993.

COSTA, A. e SILVA, R. P. (coord.) Ludicidade: o resgate da cidadania através do lúdico. São Paulo: Nestlé, UNESCO, 2001.

CUNHA, N, H. S. Brinquedo, desafio e descoberta: subsídios para utilização e confecção de brinquedos. Rio de Janeiro: FAE, 1994.

CUNHA, N. H. S. Brinquedoteca: um mergulho no brincar. 3. Ed. São Paulo: Vetor, 2001.

CURTISS, S. A alegria do movimento na pré-escola. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.

DEACOVE, J. Manual de jogos cooperativos: joguem uns com os outros e não um contra os outros. Santos: Projeto Cooperação, 2002.

DOHME, V. D. Técnicas de contar histórias. São Paulo: Editora Informal, 2001.

ESPADA, José Pedro. Técnicas de grupo: recursos práticos para a educação. Petrópolis: Vozes, 2005.

FERNANDEZ, A. A inteligência aprisionada. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990. 

FERNANDEZ, A. Psicopedagogia em psicodrama: morando no brincar. Petrópolis: Vozes, 2001.

FRIEDMANN, A. (org.) O direito de brincar. São Paulo: Scritta, 1992.

FRIEDMANN, A. A arte de brincar. Petrópolis: Vozes, 2003.

FRIEDMANN, A. Brincar, crescer e aprender: o resgate do jogo infantil. São Paulo: Moderna, 1996.

FRIEDMANN, A. Dinâmicas criativas: um caminho para a transformação de grupos. Petrópolis: Vozes, 2004.

FRITZEN, S. J. Exercícios práticos de dinâmica de grupo. Petrópolis: Vozes, 1981. v. 1 e 2

FRITZEN, S. J. Jogos dirigidos para grupos, recreação e aulas de educação física. Petrópolis: Vozes, 1981.

GALLINO, Tilde Giani. O mundo imaginário das crianças: no princípio era o ursinho. Porto: Civilização, 1996.

GOLBERT, C. S. Jogos Athurma 2: matemática nas séries inicias - o sistema decimal de numeração. Porto Alegre: Mediação, 2000.

GUERRA, M. Recreação e lazer. 5. ed. Porto Alegre: Sagra DC Luzzatto, 1996.

GUILLARMÉ, J. J. Educação e reeducação psicomotoras . Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

GUILLEN, E. Manual de jogos. São Paulo: Flamboyant, 1962.

HORN, C. I.; HARRES, J. S.; POTHIN, J. (org.) Atividades lúdicas para crianças na faixa etária de 0 a 10 anos: uma proposta com materiais de baixo custo. Lajeado: UNIVATES, 2003.

JALOWITZKI, M. Manual comentado de jogos e técnicas vivenciais. Porto Alegre: Sulina, 1998

KAMII, C. e DEVRIES, R. Jogos em grupo na educação infantil: implicações da teoria de Piaget. São Paulo: Trajetória Cultural, 1991.

KISHIMOTO, T. (org.) O brincar e suas teorias. São Paulo Pioneira, 1998.

KISHIMOTO, T. Jogo, Brinquedo, Brincadeira e Educação. São Paulo: Cortez, 1994.

KISHIMOTO, T. Jogos tradicionais infantis: o jogo, a criança, a Educação. Petrópolis: Vozes, 1993.

KISHIMOTO, T. O jogo e a Educação Infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.

LARA, Isabel Cristina Machado de. Jogando com a matemática. Catanduva - SP: Editora Rêspel, 2005.

LEBOVICI, S. e DIATKINE, R. Significado e função do brinquedo na criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

LEIF, J. e BRUNELLE, L. O jogo pelo jogo: a atividade lúdica na educação de crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

LEIF, Joseph & BRUNELLI, Lucien. O jogo pelo jogo: a atividade lúdica na educação de crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

LOPES, M. G. Jogos na Educação: criar, fazer, jogar. 2. Ed. rev. São Paulo: Cortez, 1999.

LOPES, N. Brinquedos e jogos: bases para uma escolha adequada à faixa etária de 0 a 6 anos. Revista do professor, Porto Alegre: 9(34):7-12, abr./jun.1993.

LOPES, N. Brinquedos infantis: características etárias orientam escolha. Revista do professor, Porto Alegre, 9(35):5-9, jul./set.1993.

MAC GREGOR, C. 150 jogos não-competitivos para crianças: todo mundo ganha. São Paulo: Madras, s.d.

MACEDO, L. e outros. Aprender com jogos e situações-problema. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

MACEDO, L. e outros. Quatro cores,   senha e dominó: oficinas de jogos em uma perspectiva construtivista e psicopedagógica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

MACEDO, Lino de; PETTY, Ana Lúcia Sícoli; PASSOS, Norimar Christe. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MACHADO, M. M. A poética do brincar. São Paulo: Loyola, 1998.

MACHADO, M. M. O brinquedo-sucata e a criança. São Paulo: Loyola, 1994.

MACRUZ, F. M. S. e outros. Jogos de cintura. 4. Ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

MALUF, A. M. Brincar : prazer e aprendizado. Petrópolis: Vozes, 2003.

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincadeiras para sala de aula. Petrópolis: Vozes, 2004.

MANSON, M. História do brinquedo e dos jogos: brincar através dos tempos. Lisboa: Editorial Teorema, 2002.

MARCELINO, Nelson Carvalho. Lazer e educação. São Paulo: Papirus, 1987.

MARCELLINO, N. C. (org.)   Lúdico, educação e educação física. Ijuí: Editora Unijuí, 1999.

MARCELLINO, N. C. (org.) Repertório de atividades de recreação e lazer. Campinas: Papirus, 2002.

MARIOTTI, F. R. O jogo e os jogos. Porto Alegre: Alves Editores, [s.d.]

MERKH, D. 101 idéias criativas. Campinas: JUMOC, 1995.

MILITÃO, R. e A. Jogos, dinâmicas e vivências grupais. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000.

MIRANDA, N. 210 jogos infantis. Belo Horizonte: Itatiaia, 1992.

MIRANDA, S. 101 atividades recreativas para grupos em viagens de turismo. Campinas: Papirus, 2001.

MIRANDA, S. Escrever é divertido: atividades lúdicas de criação literária. Campinas: Papirus, 1999.

MOYLES, J. Só brincar? O papel do brincar na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MOYLES, Janet e col. A excelência do brincar. Porto Alegre: Artmed, 2006.

OCAMPO, M. L. S. e outros. O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

OLIVEIRA, P. S. O que é brinquedo? São Paulo: Brasiliense, 1984

OLIVEIRA, Vera Barros de. (org.) O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, Vera Barros de. Jogos de regras e solução de problemas. Petrópolis: Vozes, 2004.

OLIVEIRA, Vera Barros de. O símbolo e o brinquedo. Petrópolis: Vozes, 1994.

OLIVEIRA, Vera Barros de. Rituais e brincadeiras. Petrópolis: Vozes, 2006.

ORTEGA, A. C. O raciocínio da criança no jogo de regras: avaliação e intervenção psicopedagógica. Psicopedagogia , São Paulo: 12 (27): 27-30, dez. 1993.

PADILLA, R.; SLAVUTSKY, A.; BURD, P. Jogo: uma paixão. Porto Alegre: Solivros, 1995.

PIMENTEL, F. e RABELO, V. 268 jogos infantis. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Villa Rica, 1991.

RAMOS, J. R. S. Dinâmicas, brincadeiras e jogos educativos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

RIBEIRO, M. M. Saber brincar. Belo Horizonte: Dimensão, 1997.

RODRIGUES, R. P. (org.) Brincalhão: uma brinquedoteca itinerante. Petrópolis: Vozes, 2000.

RODULFO, R. O brincar e o significante: um estudo psicanalítico sobre a constituição precoce. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

ROLIM, L. C. Educação e lazer. São Paulo: Ática, 1989.

ROSAMILHA, N. Psicologia do jogo e aprendizagem infantil. São Paulo: Pioneira, 1979.

SANTA ROSA, N. S. Brinquedos e brincadeiras. São Paulo: Moderna, 2001. (Coleção Artes e Raízes)

SANTOS, A. Aspectos psicopedagógicos da atividade lúdica. Lisboa: Instituto de Apoio à Criança, 1991.

SANTOS, S. M. P. (org.) Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis: Vozes, 2000.

SANTOS, S. M. P. (org.) O lúdico na formação do educador. Petrópolis: Vozes, 1997.

SANTOS, S. M. P. Brinquedo e infância: um guia para pais e educadores em creches. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

SANTOS, S. M. P. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Petrópolis: Vozes, 1997.

SANTOS, S. M. P. Brinquedoteca: sucata vira brinquedo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

SCHILLER, P. e ROSSANO, J. 100 coisas maravilhosas para manter as crianças ocupadas e diverti-las. São Paulo: Paulus, 1997.

SCHWARTZMAN, G. M. Dinâmica lúdica: novos olhares. Barueri: Manole, 2004.

SHERIDAN, M. D. Brincadeiras espontâneas na primeira infância: do nascimento aos seis anos. São Paulo: Manole, 1990.

SLADE, P. O jogo dramático infantil. São Paulo: Summus, 1978.

SPODEK, B. e SARACHO, O. N. A aprendizagem por meio da brincadeira. Ensinando crianças de três a oito anos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998. P. 209-229.

STAREPRAVO, Ana Ruth. Jogos para ensinar e aprender matemática. Curitiba: Coração Brasil Editora, 2006.

VENÂNCIO, Silvana e FREIRE, João Batista (org.). O jogo dentro e fora da escola. Campinas : Autores Associados, 2005.

WAJSKOP, G. Brincar na pré-escola. São Paulo: Cortez, 1995. (Coleção Questões da Nossa Época, v.48)

WINNICOTT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.